Permanentemente ligados: Qual o tempo das redes sociais?


As redes sociais são parte da nossa vida diária e, provavelmente, não serão excluídas. A maioria das pessoas, inclusive, não deseja fazer isso. Mas, as queixas também são constantes, falam dos “likes”, dos bloqueios, das fotos, das stories…

Em geral, as queixas vem seguidas de: “vou gastar menos tempo nas redes sociais” “vou deletar minha conta”. Mas, não vão… Ao menos, não com o mesmo empenho com que checam as redes.
Afinal tudo isso é um jeito de se comunicar, de estar no mundo. Não há volta, mas se quer voltar, por quê? ⠀⠀⠀

A velocidade das informações exige muito de nós, sempre ligados, sempre alertas, como zumbis insones. Com vidas mais expostas vigiamos mais, mas isso não é segurança, pois nos sabendo vigiados, também, expomos apenas o que queremos mostrar. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Diante de tantas máscaras, temos que ficar sempre ligados, ainda que isso custe caro.
Afinal a pergunta não é quantas horas são gastas na Web e sim: “O que você quer tanto ver que não te permite desconectar?” “O que é tão importante que os outros saibam sobre você?” ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Parece que disso ninguém quer saber, em meio a tanta informação continuamos ignorantes dos nossos desejos. E sobre isso, sim, a Psicanálise tem muito a dizer.
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

interaction 1233873 1920 1024x567 - Permanentemente ligados: Qual o tempo das redes sociais?